Quem não gosta de ouvir uma boa música? Independentemente do gênero musical, todos possuímos um artista favorito e também a nossa música predileta. Além disso, até podemos não ser o melhor cantor, ou cantora, do mundo, mas é inegável que alguém nunca tenha se pego cantando no chuveiro ou cantarolando alguma música em um momento do dia, não é mesmo?! E saiba que, de acordo com um estudo feito pela revista Plos One, ouvir música no dia a dia traz diversos benefícios para o nosso cérebro. Conheça três deles:

 

Música aumenta sensação de felicidade

Se você acha que está precisando de um pouco de impulso emocional positivo em algum momento do dia, coloque para tocar a playlist do seu artista favorito. Ouvir cerca de 20 minutos das suas músicas favoritas, aumenta a sensação de felicidade. Isto ocorre porque ao ouvir as músicas, o cérebro libera um hormônio chamado dopamina. Ele é um neurotransmissor que age aumentando a alegria, a felicidade e a excitação.

 

Música melhora a qualidade do sono

Segundo pesquisas do Instituto do Sono, 63% dos brasileiros possuem algum problema relacionado ao sono, seja insônia, ronco ou apneia. Esses distúrbios interferem no descanso ao final do dia e prejudicam o bem-estar físico e cognitivo. Contudo, estudos também comprovam que ouvir uma música calma, como a música clássica, por até uma hora antes de ir dormir, auxilia na melhora do sono, quando comparado a ouvir um áudio book ou não fazer nada. Isso ocorre porque a música age diretamente nos hormônios.

 

Música auxilia na redução da depressão

Conforme último relatório divulgado pela Organização Mundial da Saúde, o número de pessoas que vivem com depressão aumentou 18% entre 2005 e 2015. Atualmente, há 322 milhões de pessoas vivendo com esse transtorno, sendo que no Brasil, esse mal atinge 5,8% da população. Contudo, há estudos que comprovam que determinados gêneros de música podem ser benéficos para o tratamento da depressão. Isso acontece, pois a música tem um efeito direto sobre alguns hormônios do nosso organismo, como a serotonina e a dopamina. Eles agem no cérebro aumentando a sensação de bem-estar e felicidade.